11 de Fevereiro de 2020

LinkedIn e a pesquisa sobre identidade de gênero e orientação sexual no mercado de trabalho

Como a maior rede social profissional do mundo utilizou o Opinion Box para entender a relação entre o público LGBT+ e o mercado de trabalho.

...
Daniela Schermann

Head de Marketing do Opinion Box

A empresa: Conheça o LinkedIn 

A história da rede social voltada para negócios começou em 2002, mas o lançamento oficial aconteceu no dia 5 de maio de 2003, quando os fundadores do LinkedIn convidaram mais de 300 contatos profissionais para se juntar ao site. 

Em 2016, a rede social foi comprada pela Microsoft por mais de 26 bilhões de dólares, a compra mais cara da história da gigante da tecnologia. O Brasil é terceiro maior país em números de cadastrados na rede, com mais de 30 milhões de usuários ativos.  

O contexto da pesquisa sobre identidade de gênero no trabalho

Com o objetivo de melhorar ainda mais sua entrega, conectando profissionais às mais diversas oportunidades, o Linkedin se preocupou em levantar informações sobre o atual cenário da população LGBT+ no mercado de trabalho brasileiro. 

O objetivo da pesquisa era entender o quão confortável ou não é falar abertamente sobre identidade de gênero ou orientação sexual no mercado de trabalho. Além disso, eles queriam abordar temas considerados sensíveis, como o comportamento dos colegas, o preconceito e a discriminação que este público sofre no ambiente de trabalho.

Para isso, eles precisavam de uma base de pessoas qualificadas, que se enquadrassem nos filtros pré-estabelecidos e que estivessem dispostos a participar da pesquisa. 

Stephanie Hering, consultora de comunicação da empresa, entrou em contato com a Opinion Box e apresentou um briefing bem estruturado. Alinhadas as expectativas, foram definidos os detalhes estratégicos do projeto, como amostra total e cotas, para então avançarmos para o disparo do estudo. Nossa experiência com públicos específicos e com temas sensíveis contribuiu muito para a negociação e realização do projeto.

A pesquisa 

A pesquisa foi realizada em junho de 2019 com mais de 1.000 profissionais, homens e mulheres, acima dos 18 anos, pertencentes a todas as classes sociais e de todas as regiões do Brasil. A amostra da pesquisa tinha uma cota de pessoas LGBT+, mas também entrevistou pessoas de fora deste público para ter uma visão completa do cenáro.

O questionário teve 30 perguntas e foi elaborado em parceria entre o Linkedin e o Opinion Box. Na criação do questionário, houve uma preocupação muito grande em deixar o respondente à vontade, garantindo anonimato das respostas. Este era um grande desafio da pesquisa, afinal, como veremos nos resultados, muitos entrevistados não assumem publicamente sua orientação e identidade de gênero, mas ainda assim se sentiram confortáveis para se autodeclarar LGBT+ nas respostas. 

A coleta levou cerca de 15 dias úteis e os resultados foram compilados no relatório Proud at Work, produzido pelo LinkedIn. 

Os principais resultados da pesquisa sobre identidade de gênero no ambiente de trabalho

A primeira boa notícia que a pesquisa sobre identidade de gênero traz é que a realidade do público LGBT+ começou a mudar. Ainda são passos pequenos e há muito o que mudar para que eles tenham as mesmas condições de trabalho que outros grupos, mas é possível enxergar alguns avanços em relação às gerações anteriores. 

Proud at Work: O relatório final da pesquisa 

“A maior rede social profissional do mundo procura, por meio deste estudo, refletir sobre a multiplicidade que compõe a força de trabalho global e estimular o debate em prol da diversidade nas empresas”. Estas palavras estão na introdução do relatório Proud at Work, com os dados e insights da pesquisa, disponível na íntegra para quem quiser conferir. 

Com esta frase é possível entender a importância e a força do estudo, que traz a visão de trabalhadores LGBT+ sobre discriminação pelos colegas de profissão e sobre como os empregadores abordam o apoio à diversidade em suas empresas. O relatório também mostra como os entrevistados que se identificaram como heterossexuais entendem o apoio à igualdade e a pessoas LGBT+ no ambiente de trabalho. 

Quer construir um case de sucesso com a gente?

Você também pode fazer uma pesquisa de mercado com públicos específicos e sobre temas diversos. Assim como o LinkedIn, a sua empresa pode utilizar os dados para gerar relatórios exclusivos e impulsionar causas, debates e temas relevantes. 

Nós estamos aqui para escutar os seus desafios de negócio e, juntos, construirmos um case de sucesso. Fale conosco!